O Cirandar aprovou o projeto Vamos Cirandar? – Orquestra de Cultura Popular do Cirandar pela Lei Rouanet – Ministério da Cultura / Governo Federal (Pronac 163939 – Artigo 18). Agora, a ONG trabalha para captar patrocinadores e a apoiadores, sejam Pessoa Física ou Jurídica, para a realização do projeto. Confira a seguir mais informações sobre o projeto e como apoiar:

 

SOBRE O PROJETO

O projeto irá consolidar a Orquestra de Cultura Popular do Cirandar, que será formada por crianças e jovens das comunidades da Vila Nova Chocolatão e Ilha Grande dos Marinheiros – onde se localizam as bibliotecas comunitárias que a ONG Cirandar gerencia.

Com duração de 6 meses, serão realizadas oficinas semanais de formação nas bibliotecas comunitárias. Entre as atividades, destacam-se aulas de “capoesia” (que une capoeira e poesia); mediação de leitura e cidadania; instrumentos de percussão e canto coral. As crianças e jovens terão acesso aos ritmos Afro Brasileiros, como Samba de roda, Jongo, Capoeira, Afoxé e Ciranda – sempre se utilizando das poesias oriundas destas linguagem e ritmos. A percussão também será trabalhada, com instrumentos como o berimbau, atabaque, tambor de sopapo, pandeiro, caxixi e agogô. Também está prevista a participação dos escritores Alexandre Brito e Dilan Camargo em dois encontros de escrita criativa – cada um deles em uma das bibliotecas, conversando com as crianças da comunidade sobre suas obras e como desenvolveram e produziram poemas.

O projeto culmina com a realização de dois saraus abertos ao público, com a apresentação da Orquestra, onde as crianças e jovens participantes poderão apresentar seus trabalhos e recitar poesias, mostrar seu aprendizado e talento para a comunidade.

A iniciativa tem o objetivo de fortalecer os espaços e locais de cultura, mantendo as bibliotecas geridas pelo Cirandar ativas e atuantes nas comunidades, possibilitando o acesso às diversas expressões artísticas e valorizando o potencial de cada participante a partir do contato com a arte.

Para Márcia Cavalcante, diretora executiva da ONG, “a cultura é um dos mecanismos mais potentes e incentivadores para o fortalecimento da autoestima, desperta e agrega valores que se perdem no dia a dia”.

As bibliotecas comunitárias se mantêm abertas de terça a sábado e são catalisadoras das atividades de formação de leitores e atividades com outras linguagens artísticas, como música instrumental, teatro, capoeira e canto coral. “É através do trabalho diário que se consolida com a comunidade a confiança necessária para implantação dos projetos de formação de plateia, formação de artistas e formação para a cidadania”, conclui Márcia.

A iniciativa deverá contemplar cerca de 3,6 mil crianças, adolescentes e comunidade local.

COMO APOIAR: 

Dedução no Imposto de Renda Pessoa Jurídica

A empresa direciona até 4% do seu imposto devido ao Governo Federal para o projeto cultural. O Imposto deve ser declarado em Lucro Real.

EX.:        Valor de IR devido = R$ 100.000,00

Dedução de 4% = R$ 4.000,00

Este valor será totalmente abatido na cota de sua contribuição de acordo com o calendário de IR da empresa.

O aporte é feito direto na conta do projeto aberta pelo Ministério da Cultura.

Banco do Brasil

Ag: 32409

Cc: 354635

 

Investimento Pessoa Física

A pessoa física direciona até 6% do seu imposto devido em Declaração Completa ao Governo Federal para o projeto cultural.

EX.:        Valor de IR devido = R$ 100.000,00

Dedução de 6% = R$ 6.000,00

Este valor será totalmente abatido de sua contribuição no ano seguinte perante declaração.

O aporte é feito através de TED direto na conta do projeto aberta pelo Ministério da Cultura.

Banco do Brasil

Ag: 32409

Cc: 354635